Misericórdia de Lisboa apoia projetos de misericórdias de norte a sul do país

7 maio 2020

O Fundo Rainha D. Leonor vai apoiar financeiramente mais 11 misericórdias do país, para projetos na área social, inclusive reabilitação do património edificado, num investimento total de cerca de 2,5 milhões de euros.

No âmbito do Fundo Rainha Dona Leonor (FRDL), a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa vai financiar, este ano, projetos nas misericórdias de Vila Nova de Gaia (277.994,26€), Barcelos (300.000,00€), Murtosa (73.291,65€), Pinhel (200.134,80€), Ovar (193.500,00€) Penela da Beira (300.000,00 €), Vizela (108.872,30€), Carregal do Sal (150.000,00€), São Brás de Alportel (300.000,00€), Vila Nova de Poiares (300.000,00€) e Alcácer do Sal (275.000,00€).

Os 11 projetos que vão ser apoiados representam um investimento total de 2.468.793,01 euros, financiamento que vai ser formalizado na quarta-feira, 6 de maio, com protocolos assinados à distância pelos provedores das misericórdias, uma vez que a pandemia da Covid-19 impede a realização da cerimónia presencial.

Inez Dentinho, membro do Conselho de Gestão do FRDL disse, em declarações à agência LUSA, que o apoio “versa sobretudo projetos de inovação social”, financiando a reabilitação das instalações das misericórdias, “desde que, acompanhado dessas obras, aconteçam elementos de inovação social que permitam preparar estes lares para as gerações que as venham a ocupar no futuro também, com Wi-Fi, com circuitos exteriores de exercício, com outras dimensões que provoquem a descoletivização da vida no lar”.

Entre os 11 projetos a apoiar, além da reabilitação do património edificado dos lares e centros de dia, estão ideias para a criação de um espaço de fisioterapia, um centro hidroterapêutico com uma piscina interior onde podem fazer exercício físico e um jardim intergeracional ao lado de um ATL, assim como circuitos de lazer para a prática de exercício físico.

Sobre a escolha destes projetos, Inez Dentinho adiantou que foram repescados do concurso de candidaturas apresentadas em 2019, porque tinham sido aprovados, mas não tiveram verba disponível, uma vez que, de acordo com a ordem de classificação, foram apoiadas as ideias com maior pontuação.

No âmbito do Fundo Rainha Dona Leonor (FRDL), a Santa Casa, desde 2015, já apoiou 143 misericórdias, num investimento que ultrapassa os 23 milhões de euros. Na sua criação, em 2015, operava apenas na área dos equipamentos sociais, mas, a partir de 2017, o FRDL passou a destacar 25% da verba também para a área da conservação do património.

Nascido de um acordo de parceria entre a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e a União das Misericórdias Portuguesas, assinado a 23 de abril de 2014, o Fundo Rainha Dona Leonor vem dar apoio a causas sociais prioritárias das misericórdias de todo o país, cumprindo, deste modo, a vontade da instituição em intervir além das fronteiras da capital.

Em pleno período de pandemia, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e a União das Misericórdias Portuguesas reforçaram a sua união, através da campanha “Somos a Casa de milhares de portugueses”. Lançada no passado mês de abril, esta campanha da Santa Casa teve como objetivo reforçar a missão da instituição, bem como a de todas as misericórdias do país. Numa fase em que muitos portugueses recolhem às suas habitações para se protegerem, existe uma Casa que garante que mesmo estando sozinhos, nunca estarão isolados, continuando a apoiar aqueles que mais precisam, empenhando-se diariamente em dar um maior conforto a quem tem de ficar em casa, mostrando a estas pessoas que não estão sozinhas porque a Santa Casa e as misericórdias estão sempre lá, para as apoiar.