A Casa do Impacto esteve à conversa com Teresa Simões, promotora do Troca-te, um projeto que participou na primeira edição do RISE for Impact.

Durante as próximas semanas vamos conversar com outros participantes e mostrar-te que o RISE for Impact é o programa de aceleração certo para desenvolveres o teu projeto de impacto. Candidata-te à próxima edição e junta-te à comunidade que faz a diferença. 

O Troca-te é uma iniciativa que promove a economia circular através de eventos de trocas. Tem vindo a ser desenvolvido de forma comunitária, através de uma equipa de voluntários que trabalha para que os eventos possam crescer. Estes eventos têm como objetivo ser uma alternativa viável ao consumo excessivo, fomentar o prolongamento da vida dos objetos e apelar à conscientização da população em geral, para adote um estilo de vida mais sustentável.

 

Qual a vossa experiência anterior?

A equipa tem formação na área de organização de eventos, na área social e nas artes.

Como tiveram conhecimento do RISE e o que vos impulsionou a participar?

Tive conhecimento do RISE através das redes sociais. A decisão de candidatura deveu-se ao facto de o projeto estar a crescer, o que incrementou a logística, custos e condições, tornando-se necessário encontrar um modelo de negócio que permitisse o seu crescimento, o investimento em melhoramentos, bem como chegar a mais pessoas.

Qual a vossa experiência durante o bootcamp ? De que forma acha que a participação no bootcamp contribuiu para o desenvolvimento do projeto?

Foi importante estruturar ideias e conceitos. Foi a primeira vez que trabalhámos mais a fundo o modelo de negócio e no que diz respeito a um modelo para o futuro. No entanto percebemos que era necessário mais input da área de gestão.

Sentes que o projeto beneficiou da partilha de espaço e tempo com outros projetos/ startups de impacto?

Sim, sem dúvida. Foi muito enriquecedor poder conhecer as pessoas e respostas a problemas sociais, não só os que já existem como os que ainda estão em desenvolvimento.

Como cresceu o Troca-te desde que participou no bootcamp até agora? Que milestones atingiu?

Como o projeto não tinha ninguém dedicado a tempo inteiro nem part-time o trabalho focou-se mais em pilotos para testar ideias. Apenas a partir de Novembro é que foi possível a fundadora ficar a tempo inteiro para desenvolver mais trabalho. Começou uma procura de alguém mais ligado à gestão, mas não foi fácil encontrar alguém interessado. Em relação a desenvolver mais o projeto, que fez, entretanto, 8 anos, foram feitas várias candidaturas a aceleradoras e financiamentos. Fomos selecionados para o programa Grow Innovation na IRIS Social no Porto, onde foi desenvolvido trabalho de Janeiro a Junho de 2020, dentro do possível no atual contexto de pandemia. Foi feito um levantamento de opinião etc. junto dos participantes de um evento em Fevereiro. Trabalhou-se no modelo de negócio e métodos de orçamentação e foram enviadas várias propostas para a realização de eventos. No entanto, com a pandemia todas as hipóteses de eventos foram postas de parte.

Como é que o Troca-te contribui para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU?

Contribui para o ODS 11 | Cidades e comunidades sustentáveis |Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis;

O ODS 12 | Consumo e produção responsáveis | Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis e;

O ODS 13 | Ação contra a mudança global do clima |Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos.

Exemplo é que os eventos de trocas formam comunidades mais inclusivas, aproximando várias camadas sociais, pois, podem ser “usados” para diversos fins para além da vertente ambiental. No futuro a ideia é criar uma rede que promova um sistema de pontos associado a outras iniciativas, que promoverá ainda mais a questão da inclusão e sentimento de segurança. Como os eventos põem a economia circular em ação e esta é, por si só, uma economia que pretende acabar com ineficiências ao longo ciclo de vida do produto, com o objetivo de manter produtos, componentes e materiais no seu mais alto nível de utilidade e valor o tempo todo. Ao prolongar a vida dos objetos estamos a poupar quantidades matéria-prima, energia e a evitar o lançamento de químicos nocivos para o ambiente.

Qual a mensagem que queres deixar a quem se queira candidatar à próxima edição do RISE for Impact?

A tua pegada positiva no mundo pode tornar-se ainda maior através do RISE, candidate, não tens nada a perder!

Cabides com roupa