A Casa do Impacto esteve à conversa com Marta Velho, promotora do Thidols, um projeto que participou no bootcamp da primeira edição do RISE for Impact.

Durante as próximas semanas vamos conversar com outros participantes e mostrar-te que o RISE for Impact é o programa de aceleração certo para desenvolveres o teu projeto de impacto. Candidata-te à próxima edição e junta-te à comunidade que faz a diferença.

 

A missão do Thidols é redefinir o conceito de ídolo e alargá-lo a personalidades que estejam a contribuir positivamente para a sociedade. Aplica a missão da marca à moda, desenvolvendo peças de homenagem a estes novos ídolos, ao mesmo tempo que desenvolve uma comunicação baseada na educação para causas.

Como marca de impacto que são, contribuem para a economia circular, apostando no que é desenvolvido localmente e usando materiais sustentáveis, assim, comprometendo-se fortemente com as causas humanitárias e ambientais. O objetivo é desenvolver peças que deem um novo propósito à moda, (atualmente t-shirts e tot bags podem ser encomendadas através do seu website), que sejam produzidas de forma justa, mas sejam igualmente trendy, espalhem uma mensagem positiva, criem awarness e promovam a mudança. Através de uma política de stock zero, promovem também o combate ao desperdício e assim produzindo peças personalizadas.

 

Qual a motivação para o desenvolvimento de um projeto como a Thidhols?

Participei no RISE com a Thidols, cuja missão é redefinir o conceito de ídolo e alargá-la a personalidades que estejam a contribuir positivamente para a sociedade. Na altura a equipa era composta apenas por mim. Neste momento, somos duas. Estamos a aplicar a missão da marca à moda, desenvolvendo peças de homenagem a estes novos ídolos, ao mesmo tempo que desenvolvemos uma comunicação baseada na educação para causas.

Qual a tua experiência anterior?

Já tinha tido uma startup e era jornalista de empreendedorismo.

Como tiveste conhecimento do RISE?

Meios de comunicação

O que te impulsionou a participar?

Na altura, a Thidols era apenas uma ideia. Quis testar a viabilidade da ideia e se valeria apena avançar com ela.

De que forma achas que a participação no bootcamp contribuiu para o desenvolvimento do projeto?

A participação no bootcamp foi extremamente positiva e fulcral para a minha decisão de avançar com o projeto. Creio que, se não tivesse sido o RISE, é possível que a ideia não tivesse passado do papel.

Sentes que a Thidols beneficiou da partilha de espaço e tempo com outros projetos/ startups de impacto?

Sim, sem dúvida. Fiz contactos importantes e amigos que ainda hoje mantenho.

Como cresceu o projeto desde a participação no bootcamp até agora? Que milestones atingiram?

Cresceu muito. Neste momento, a equipa é composta por duas pessoas, houve uma fase de teste (que foi mais alargada do que era suposto, devida à pandemia) e, neste momento, vamos avançar de forma mais oficial com o projeto.

Como é que a Thidols contribui para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU?

Contribuímos em duas vertentes:

  • Pela sustentabilidade do projeto, só utilizando materiais e técnicas sustentáveis, contribuindo para o novo posicionamento da indústria da moda, mais ético, humano e sustentável.
  • Pela educação para as causas dos nossos ídolos, que vão deste a ecologia aos direitos humanos, passando pela igualdade de género, o combate ao extremismo, entre outros. A Thidols é uma marca ativista na sua génese.

Que mensagem gostarias de deixar a quem se queira candidatar à próxima edição do RISE for Impact?

Vale muito, muito a pena.

grupo de jovens com t-shirts da Thidols