A súbita chegada da Pandemia do COVID-19 demonstrou a vulnerabilidade do nosso Serviço Nacional de Saúde e o quanto a área da Saúde carece de dinamismo e de serem criadas as condições para um sistema médico disruptivo.

A inovação tecnológica na Saúde pode trazer inúmeros benefícios, entre eles contam-se: descoberta de novos métodos de rastreamento, diagnóstico e tratamento de doenças; alívio da pressão no SNS; poupança de recursos e dinheiro público e privado.

O ecossistema do Empreendedorismo e Inovação, pelas suas características específicas, mexe e transforma-se a uma velocidade impossível de igualar noutros sectores de negócio, como se comprovou desde a chegada a Portugal do vírus do COVID-19 em que vimos Startups a rapidamente migrarem e adaptarem o seu serviço/produto para satisfazer as novas necessidades societais causadas pela crise pandémica.

Este ecossistema tem um lugar dianteiro na identificação das necessidades da sociedade que se encontrem atendidas de forma inadequada ou simplesmente não atendidas, o que possibilita o desenvolvimento de soluções inovadoras para responder a essas necessidades e a consequente avaliação da eficácia dessas soluções, terminando o ciclo com a disseminação das mesmas que se tornam inovações sociais efetivas.

É importante aproximar os Empreendedores e Inovadores em Health Tech do ecossistema do Empreendedorismo de Impacto. Existem em Portugal alguns players que se dedicam á promoção do investimento de impacto, focando-se em áreas com grande potencial de inovação (como a da Saúde), com o objetivo de encontrar respostas para necessidades não satisfeitas na nossa sociedade através do desenvolvimento e execução de projetos inovadores (produtos, serviços e modelos de negócio) alinhados com os ODS das Nações Unidas.

O investimento na área da Saúde tem vindo a revelar-se uma tendência e no início de 2020 o Silicon Valley Bank revelou que esta tendência iria aumentar neste ano. Tendo em conta a situação global atual tal declaração não podia fazer mais sentido. Quais são as expectativas para este investimento em Portugal? Compensará a longo prazo? O que procuram os investidores? Que novas necessidades surgiram e surgirão daqui em diante?

Uma coisa é certa, esta pandemia fez soar o alarme para uma revolução iminente na maneira como todos encaramos a indústria médica.

Junta-te a nós para esta conversa, para a qual contamos com Marco Fernades, Presidente Executivo da PME investimentos, Francisco Goiana da Silva, Presidente do Health Parliament Portugal, João Garcia da Fonseca, Founder e CEO da Biosurfit, Francisca Canais e Rita Maçorano, Co-Founders e CEOs da NEVARO.

LOCAL_
Zoom | Facebook Live

HORA_
18:00